sexta-feira, 20 de janeiro de 2017



Dia 20 de janeiro será sempre um dia especial. Um dia para brindar à vida e para agradecer ter pessoas tão especiais na minha vida. Aquela coisa de dizerem que o tempo cura tudo, é mentira. Pode atenuar a dor. Mas cada dia que passa sinto mais a ausência. Sinto falta das conversas na cama, de segurar nessa mão forte, dos silêncios por baixo da figueira, dos risos. Mas hoje é dia de brindar. Hoje é o dia que viu nascer um grande homem: aquele que será sempre o homem da minha vida. Aquele que me ensinou a superar todas as adversidades, a dar valor às coisas simples e a nunca esquecer de onde vim. A ti, pai. 

8 comentários:

cozinha100segredos disse...

Perdi o meu pai há 14 anos no dia de reis. Passado este tempo todo dói quase tanto como se fosse hoje. O tempo não cura nada, apenas ajuda a que não seja tão doloroso. Sei que devemos valorizar por os termos tido na nossa vida, pois há quem não tenha, mas custa sempre aceitar. Beijinho grande

Agridoce disse...

Um grande abraço, Dina!

Cynthia disse...

Há que manter as boas lembranças, não é? :)

Dina disse...

cozinha100segredos: é verdade. Com o tempo, conseguimos recordar com sorrisos, e com menos lágrimas, mas custa sempre tanto. Um abraço apertado também para ti

Dina disse...

Agridoce: Obrigada... um beijinho

Dina disse...

Cynthia: É verdade! Por isso é que acredito que há mesmo seres imortais: são pessoas tão boas, tão ricas, que deixaram tanto amor nos outros, que se mantém sempre vivas. Um beijinho!

Jo disse...

Um grande beijinho Dina!

A Pimenta* disse...

Há perdas que o tempo não apaga.