quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Ensinamento de uma (curta) vida



"Aprendi que as contrariedades, mesmo as mais terríveis, fazem parte da vida e é a forma como as enfrentamos que nos tornam pessoas melhores. Ou piores. As dificuldades testam-nos, são os exames que a natureza põe perante o nosso carácter e nos forçam a mudar. Somos o que somos devido à maneira como enfrentamos os contratempos. Com os obstáculos que o destino nos ergue pelo caminho, seremos capazes de nos tornar pessoas melhores, aprender que a vida deve ser vivida como se cada minuto fosse o último, como se cada instante encerasse um tesouro? Ou tornar-nos-emos seres amargos e atormentados que encaram o privilégio da existência como um fardo que se arrasta penosamente?

O que é a vida senão um exame? Cabe-nos a nós passar ou reprovar no grande teste da existência. O importante não é vencer o que nos é adverso, pois no fim a adversidade acaba sempre por nos derrotar. O que é realmente importante é a forma como enfrentamos as dificuldades, como as usamos para nos transformarmos e tornarmos melhores. É esse o verdadeiro exame que a vida nos nos faz. A nossa vitória não está no fim, uma vez que no fim apenas existe a derrota, mas na maneira como lidamos com as escolhas da existência, como superamos ou não as barreiras que se nos erguem pela frente."

Quando alguém escreve isto tão bem, não vale a pena inventar. Basta partilhar. Este excerto reflete com precisão a minha maneira de pensar...

Em O pavilhão púrpura de José Rodrigues dos Santos

3 comentários:

cecilia silva disse...

Olá. Adoro ler o seu blog,o que escreve,as partilhas do bom e do mau. Descobri-o por um acaso. E fiquei fã. Este pequeno excerto,fez-me "bem". Obrigado. Um feliz dia para si.😊😘

Dina disse...

Cecilia Silva: Muito obrigada pelas suas palavras :)

Luar disse...

Sem dúvida. Adorei o excerto e subscrevo :-)