quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Alimentar uma criança


Toda a gente fica surpreendida quando vê o Simão comer: delicia-se com pratos que as crianças normalmente não apreciam. Devora brócolos, ervilhas, grão, feijão e couve de bruxelas. Adora peixe cozido e salmão grelhado. Come a sopa sem reclamar. E come qualquer prato mais elaborado: caril, comida picante, sushi, etc. Há apenas uma coisa de que não gosta mesmo: pizza.

E perguntam-me muitas vezes qual é o segredo. Francamente não sei, cada criança é diferente. Mas desde que ele começou a diversificar a alimentação, sempre fiz questão de ele comer como nós. Coloquei sempre todas as verduras no prato. No início ele recusava-se a comer. Eu sabia, mas colocava sempre tudo no prato, para ele perceber que as verduras faziam parte da comida. Mas nunca, nem uma vez sequer, o forcei a comer algo. Incentivo-o a provar tudo, até pratos que não aprecio (como a morcela que ele come satisfeito), mas nunca stressei para ele comer nada. E ao ritmo dele, começou a provar os legumes e hoje é a parte do prato da qual mais gosta. Se os forçarmos acredito que começa a ser um desafio para eles, e passam a recusar para contrariar os pais.

Mas atenção, lá em casa (e isso já me vem desde a casa dos meus pais), as regras são iguais para todos. Ou seja, não o vou fazer comer peixe cozido, se eu estiver a comer bacalhau com natas. Não o faço comer uma sandes de fiambre de peru, se eu estiver a lambuzar-me com um bolo. O que vai para a mesa é para todos e acredito que a educação das crianças se faça (em todos os sentidos) por imitação: pelo que acredito que se for normal e satisfatório os pais comerem verdes, para ele também o será. 

6 comentários:

Jo disse...

Ah que maravilha!! Também quero aprender o segredo do Simão, porque tenho que me esforçar para comer alguns legumes - de uns gosto, mas de outros só mesmo com esforço! - mas sou perdida por pizza... :P

Ainda não sou mãe, mas gostei muito dessa postura que dizes ter aí em casa. Acho que é de facto o que faz mais sentido. E espero que um dia, quando chegar a minha vez, também seja bem sucedida nesse aspecto. ;)

Vidas da Nossa Vida disse...

Eu sempre fiz tudo isso, nunca houve pratos especiais para ninguém, têm de provar de tudo... mas depois há uma parte que é mesmo deles. O meu mais velho detesta comer, não tem quase prazer, é um pisco e nunca tem fome. Não é que seja esquisito porque adora cachupa, caracóis desde que tem um ano, queijos picantes e exóticos, mas não gosta de chocolate e odeia legumes cozidos. Já o mais novo é uma boca santinha como a mãe dele:-)) A educação conta muito e é fundamental, mas há uma parte que é mesmo deles.

Dina disse...

Vidas da Nossa vida: oh sim é bem verdade. Eles têm muito deles. E isso vê-se com os irmãos... mesma educação e tão diferentes :)

Estudante disse...

Crianças que fazem birras para comer são terríveis :P tens sorte com o Simão! Sorte e competência, porque se ele é assim, também deve ser pela mãe que tem ;)

Timtim Tim disse...

Assim é um espectáculo. Também registo com satisfação que as minhas filhas comem com a mesma vontade uma posta de pescada cozida com que comem um hamburger no Macdonalds em dias de festa.

Dina disse...

Estudante: Obrigada :)