terça-feira, 2 de setembro de 2014

Do batizado


Sou uma pessoa que não ligo a convenções, nem ao que "parece bem", ou ao que "toda a gente faz". Em momentos como casamentos e batizados, sempre dei prioridade ao que era simbólico e importante para mim.

O Simão vai ser batizado este mês na aldeia dos meus pais. Não haverá festas dignas de príncipes reais como é comum ver-se hoje em dia. Vamos ser cerca de 15 pessoas apenas: avôs, padrinhos do Luís e do Simão e amigos chegados. O Simão vai vestir uma roupa perfeitamente normal: calções brancos com camisa azul clara. A toalha e vela são simples, nada de extravagâncias pelas quais me pediam pequenas fortunas, por peças bem feias por sinal. Não haverá fotógrafo profissional. Vamos almoçar em casa.

Mas vai haver leituras que me tocam profundamente, pela família. Haverá uma consagração do pequeno a Nossa Senhora da Assunção, a quem sou devota. Levarei dois ramos de flores: rosas brancas e amarelas. Um será para colocar no Santuário de Nossa Senhora da Assunção. Depois da missa, quero muito ir com o Simão pela primeira vez a visitar o avó, a quem deixaremos o outro ramo e um anjinho (lembrança de batizado para convidados - os da foto), porque o avó será sempre o nosso anjinho. Ainda não fui ao cemitério com o Simão porque toda a gente me diz que sem ser batizado não pode ir, e eu adiei.

E claro haverá comida e conversas à volta da mesa com os presentes. E vamos passar um óptimo momento entre família e amigos.  

7 comentários:

Maggie F. disse...

E assim é que deveria se r sempre Dina, o minimo de ostentação e o máximo de união.
Mtas felicidades

Maggie

Alex disse...

O baptizado do meu filho foi também assim, simples, sem grandes festanças e rocócós mas um momento muito feliz! Que seja uma festa memorável a do Simão!

Jo disse...

E por vezes (para não dizer sempre...) é mesmo isto que importa: reunir aqueles que valem mesmo a pena, passar momentos de qualidade com quem nos é próximo, com quem gostamos de estar, e marcar o dia com pequenos gestos que significam muito para nós. Os anjinhos são uma ternura.

Vidas da Nossa Vida disse...

Que seja um dia especial e com muito amor. E eu nunca tinha ouvido que uma criança não baptizada não poderia ir a um cemitério,mas respeito. As maiores felicidades para a família e para o pequeno Simão. Um beijinho

Dina disse...

Vidas da Nossa Vida: coisas de pessoas mais velhas ;) Dizem que uma criança que não é batizada não pode entrar em igrejas e cemitérios, isto porque está "aberta" a espíritos. Sim é superstição pura. Em igrejas eles sempre entrou (afinal é casa de Deus e não quero acreditar que algo de mau possa acontecer a uma criança numa igreja), mas cemitério, pelo sim, pelo não fui adiando ;)

Opinante disse...

Que seja mágico*

Opinante disse...

Que seja mágico*