quinta-feira, 19 de junho de 2014

Sobre "a panela"


Antes de ter a Bimby, a pergunta se valeria mesmo a pena comprar invadia os meus pensamentos. Depois de uma demonstração, fiquei rendida aos seus encantos, mas o preço fez-me retrair (na altura não havia concorrentes). Ouvia muitos argumentos: “faz-te poupar”, “traz-te mais variedade”, etc.

Agora que a Bimby faz parte da família há alguns meses posso dar a minha opinião. Esta panela (como lhe chama carinhosamente o homem da casa) dá muito jeito e se soubesse o que sei hoje, teria comprado mais cedo. Isso por causa do Simão. Não acho que me faça poupar. Dá-me é qualidade de vida e isto é uma das minhas maiores preocupações no meu dia-a-dia (e da mesma forma comprei uma máquina de lavar a loiça). Poupa-nos trabalho: programar a Bimby e poder ir dar banho, brincar, sem me preocupar se vai verter, se vai agarrar, etc., é uma maravilha. Também gosto porque me permite cozinhar de forma muito mais saudável (a vapor, controlando a temperatura, etc.). E claro que agora faço pratos que de outra forma nunca faria num dia de trabalho.

Mas senão, continuo a comprar iogurtes (porque gosto de ir ao frigorífico, sem peocupação com datas de validade e porque hoje em dia já se compram iogurtes de marca a preço bem acessível).


Se não tivesse filho, nunca a compraria. Para quem tem um filho ou vai ter aconselho mesmo. Quem tem Bimby nunca pensaria em comprar uma das maquinetas da concorrência. Mas penso que para quem nunca conheceu a Bimby, não deve sentir a diferença.

1 comentário: