terça-feira, 16 de julho de 2013

Dos gurus da educação


Às vezes pergunto-me seriamente se eu serei uma má mãe, se eu não estou consciente das responsabilidades que me assistem e das funções que assumi ao decidir ser mãe.

Às vezes sinto-me uma ave rara. Não faço parte de mil e quinhentos grupos no facebook sobre maternidade, não leio livros sobre o assunto (sobre disciplina positiva, sobre ementas, etc.), não assisto a seminários, não sou fanática da amamentação, etc.

Levo tudo muito naturalmente. O crescimento como uma aprendizagem comum. Sem stresses. Tenho uma grande conselheira que é a nosso médica pediatra. Depois sigo a minha intuição. Afinal cada criança é uma criança. Devemos aprender a lidar com ela. E não seremos nós as pessoas mais adequadas para encaminhá-la e ensinar-lhe a viver bem com ela e com os outros? Não sigo teorias. Apenas aquelas que derivam do senso-comum.

Estarei errada? Não sei. Afinal o resultado só vai ser visível daqui a alguns anos. E sei que os erros cometidos agora podem ser irremediáveis depois. Acredito que quando crescem muitos pais pensam que deveriam ter feito algo diferente. Vejo as minhas amigas tão empenhadas e olho para mim e assusto-me. Mas depois penso que os nossos pais não se seguiram por nenhuma teoria, nenhum guru e conseguiram educar-nos de forma equilibrada.


Não sou de passar muito tempo enfiadas em pesquisas e leituras chatas e aplicar teorias como quando se amestra um animal (não sou nada contra quem o faça, cuidado! Até vos admiro e muito!). Sou mais de passar o meu tempo junto dele, a descobrir o mundo com ele. Mas daqui a 18 anos voltamos a falar…

8 comentários:

Opinante disse...

Relaxa e sê feliz :D

Pepper disse...

Onde assino Dina?

Maria João disse...

Olha, sabes que mais, nunca, mas nunca desde que o meu filho mais velho nasceu e já lá vão quase 9 anos, comprei uma daquelas revistas de bebes.
Concordo plenamente contigo, a educação, alimentação e tudo o resto, é feita da forma como acho que devo fazer e da forma como a minha mãe fez comigo.
Se está errado? Acho que não, pois hoje, sou uma Mulher muito bem resolvida e graças a Deus, cheia de saúde e quando eu nasci, revistas? Informação sobre bebes? O que era isso?
Continua a fazer o que o coração de mãe te diz e vais ver que vais ter aí um excelente e saudável adulto.

bjs,
MJ

Dina disse...

Opinante: Eu ando relaxada :) Cansada mas relaxada :)

Caquinho disse...

Partilho 100% da tua opinião. Sou mãe "de primeira viagem", como ouvi dizer, e não vivo obcecada com o que dizem "os livros".

mici disse...

concordo que não há melhor ajuda para educar os nossos pequenos que a nossa intuição. mas isso é para nós que a temos. infelizmente existem mulheres sem pingo de instinto maternal e, para essas, se não fossem estes "manuais de istruções" que explicam tudo e mais alguma coisa... seria o desespero de muitas crianças. mas fica descansada, não és a unica a não leres livros ou revistas, tambem nunca o fiz... ainda, mas a longo prazo... nunca se sabe.

Petra disse...

Para além de que está comprovado que pais relaxados qb e sem pancas de super protecção, conseguem que os filhos sejam mais autónomos e confiantes em si mesmos.

Guinhas disse...

Correndo o risco de ser demasiado "bruta" e ,antes de mais, digo que este comentário vem de mim: alguém que não tem filhos. Acho fantástico quando uma pessoa é mãe e consegue ser "normal". Tenho várias amigas mães e, no último jantar, SÓ se falava de leite, choro de bebe, o côcô, gases e dentes. E o pior é que a formatação da conversa é única e exclusivamente essa...