quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Conflito de gerações

As férias foram repletas de discussões com a minha mãe. A idade faz-lhe mal: torna o seu feitio cada vez mais difícil. Há mulheres que, para se suportarem, precisam da mão de ferro de um homem (não me batam por dizer isso, mas é a pura da verdade). E agora sozinha o pior dela vem ao de cima. Adoro a minha mãe mas viver por debaixo do mesmo tecto é totalmente impossível.
 
Controladora ao mais alto nível, ciumenta, mandona, forreta, com jogos e chantagens psicológicas. Foram semanas eléctricas. Só ela perde, pois assim isola-se cada vez mais e leva a que a família a deixa cada vez mais sozinha. Tenho pena, mas sei que um dia que ela precise nunca a poderei trazer para a minha casa. Pela minha sanidade e estabilidade do casal. Estas férias consegui sentir-me melhor em casa da minha sogra do que da minha própria mãe (para vocês verem!). E agora vejo que, se desde a morte do meu pai, as minhas relações com a minha irmã azedaram, o devo muito a ela.
 
Chorei de desgosto e abandono, mas nada posso fazer. Tenho imensa pena que assim seja. Tenho mesmo.

11 comentários:

teardrop disse...

Querida Dina,
Fico triste que assim seja, mas consigo compreender-te. Espero que com o isolamento ela consiga perceber que tem que mudar. Pode ser que sim!
Beijinhos

Isa disse...

Querida Dina, é uma pena que assim seja, mas quando as pessoas são assim não há muito a fazer e o apoio à distância normalmente corre muito melhor e é mais saudável para as duas partes. Já vi isso acontecer com a mãe da minha sogra. A minha sogra fazia-lhe de tudo e ela sempre a criticar, desconfiar, e a dar-se mal com o meu sogro quando ele a tratava sempre com cuidado e respeito.. A idade à vezes deixa as pessoas assim.

Beijinhos e força

Diana disse...

por vezes as relações com as mães são (muito!) complicadas...

my advice (once again!): foca-te em ti, na tua vida, e não no que gostavas que ela fosse, ou a vossa relação fosse...

as coisas são o que são, e se não podes mudá-las (apenas nos podemos mudar a nós, e é quando queremos!)... para quê perder tempo e energia e felicidade com isso?

rosa_chiclet disse...

bem querida que férias.. é complicado quando as pessoas são assim..

kisses***

Raio-de-Luar disse...

Olá Dina. Já te leio há algum tempo, mas confesso nunca ter comentado. Sou tímida :)
Não consegui passar em silêncio por este post. A descrição que fazes da tua mãe mais parece que descreves a minha :(
Sei o quanto nos magoam as atitudes, palavras cruas e ríspidas, as constantes cobranças e acusações de quem está de mal com a vida e com todos mas que ainda assim se acha a grande vítima.
A única coisa que te posso oferecer é esta solidariedade e compreensão de quem vive semelhante dor e pesadelo. Serve de pouco, mas... não és a única a ter e a viver com uma mãe assim.
Bjinhos e força. Agora sê a mãe que nunca tiveste ;)

Karina sem acento disse...

É sempre complicado quando as relações entre familiares azedam, principalmente tratando-se entre mãe-filha... Mas pode ser que a tua mãe veja que as pessoas se afastam à conta do seu feitio e que mude... até lá, força*

Sabor Adocicado* disse...

A quem o dizes! A minha mãe é uma excelente pessoa, faz tudo por mim, tudo mesmo mas está a enlouquecer-me acredita! Devido ao isolamento em que está parece que quer viver a minha vida por mim.. e se eu não a deixo manipular tudo: o que como, o que visto, o que limpo, o que sujo, onde vou, a que horas me deito, se faço barulho ao deitar etc etc inferniza-me a cabeça e ainda me faz crer que EU sou desequilibrada quando eu, aos 21 anos apenas quero viver a MINHA vida sossegada. Neste momento tenho medo de lhe dizer o que quer que seja, porque tudo lhe serve para me criticar. Tudo oque faço é ma feito. enfim, que sufoco! Compreendo-te bem. Muita força e paciência, aproveita que tens o namorado ao teu lado e tenta distrair-te dos problemas de casa*

Opinante disse...

Eu percebo-te tão bem...

Vee disse...

Eu acho que a idade aguça as nossas caracteristicas, as boas e as más. Por vezes até refreamos a nossa personalidade com o nosso parceiro e ao perdê-lo acredito que deixamos esse controlo. Quando a companhia de alguém que gostamos se torna dificil por isso é pena, mas acontece tantas vezes.

me disse...

Oh Dina, imagino o quão complicado deve ser para ti, sobretd com um bébé pequeno em que por vezes precisamos mais do apoio da familia, estás entregue a ti mesma. Noto que a tua sogra tb não é a melhor pessoa do mundo enfim não deve ser fácil. Mas pelo que vejo através do teu blog, tb não és pessoa de desistir, de deixar-te ir abaixo. Noto que tens garra e força. Por isso, muito ânimo que o caminho é em frente. Bjs Raquel

Guinhas disse...

Que complicação....eu adoro a minha "sogra" mas a minha mãe é a melhor companhia do mundo. Tenho pena que as coisas tenham corrido menos bem, mais ainda com o pequeno princepe devia ser uma razão de união e até de cumplicidade entra vocês as duas.Espero que as coisas melhorem com o tempo, sinceramente.