sexta-feira, 18 de maio de 2012

Mentiras clementes

Li algures que só se mente a quem amamos. Porque com os outros, não nos importamos com o que eles pensam... Mas preocupamo-nos em deixar triste ou desiludir quem é importante para nós.

Há conceitos difíceis de julgar, como a vaidade, o orgulho, ..., e as mentiras. Tudo depende do contexto e do grau. E sim há mentiras bondosas. Mas por outro lado, se amamos deveríamos poder ser francos e sinceros. Mas como tudo há situações e situações. Eu já menti em pormenores só para evitar certas chatices ou aborrecimentos. Mas depois até que ponto a pessoa consegue saber se aquela mentira que nos parece inofensiva a nós, pode provocar uma verdadeira quebra de confiança no outro?

E vocês, são apologistas da sinceridade em todo e qualquer caso ou há mentiras necessárias e clementes?

11 comentários:

Anabela disse...

Eu acho que há existem mentiras "necessárias". Desde que não sejam em exagero e não se tornem hábito, não vejo grande problema. São mais "ocultações de verdade" do que mentiras.
O ideal seria nunca haver, mas não há perfeição.
Beijinho e Bom Fim de semana.

Sónia disse...

Depende da mentira! O bom é nunca o fazer, mas por exemplo não vais dizer à tua amiga que o vestido dela é horrível quando ela o adora certo?
Beijos

Tânia disse...

Concordo que não se deve mentir, mas por vezes é complicado não o fazer, principalmente para protecção de quem mais amamos.

Cada caso é um caso...

Turista disse...

Querida Dina, mais que mentir, em relação à minha mãe (que já sabes, tem uma idade avançada) omito muitas coisas, para não a maçar, nem a preocupar! Porque, lá está: se a amo tanto, não a quero perturbada nesta fase da sua vida!
Fiquei tão contente com a chegada da tua prendinha da Zita, que nem imaginas! Já andava mesmo preocupada! Ainda bem que gostaste! :)
E gostava imenso de contar com a tua participação, no desafio As Amantes do Verão, apesar de não ser a tua estação do ano favorita, eu sei!!
Envia mail com o link do teu blog, para oficializar a participação.
Beijinhos e bom fim de semana.

Ana disse...

concordo contigo, se for uma verdade que deixe a pessoa muito triste prefiro omitir.
beijinhos

D* disse...

Existem mentiras e mentiras e certas "inverdades". E por vezes, é um mal necessário. Beijocas

Alminhas disse...

Depende de tanta coisa... Eu considero que tudo pode ser dito, contudo existem formas mais correctas de o fazer, do que outras... E depois também a hipótese de omitir, em vez de mentir!lol
Olha este é um assunto que dá "pano para mangas" :) O melhor mesmo é não ter que se mentir, mas quando não há mesmo outra hipótese, sabemos que mentimos por uma razão maior e temos que assumir essa responsabilidade! Enfim... acho que não disse nada lol Beijocas e bom fim-de-semana

Guinhas disse...

Eu acho que há graus...se for algo só para evitar uma "decepção", uma chatice ou isso não vejo, sinceramente, qualquer mal. Se for algo grande...ai a conversa já muda de figura..

O Outro Lado do Amor disse...

Eu sou apologista da sinceridade acima de tudo e qualquer coisa. Não só porque já descobri mentiras e fiquei pior, do que se houvesse sinceridade.
Já diz o ditado " mentira tem perna curta" e se houvesse mentiras boas, porque necessidade de lhe chamar mentiras?:)

Opinante disse...

Eu acho que há mentirinhas "necessárias", mas nada de exageros! Só pequenas situações, contudo eu sou (quase sempre) a favor da verdade...

Moa disse...

Há mentiras necessárias desde que não sejam muito graves e que o objectivo seja poupar alguém que amamos de situações menos boas!