sexta-feira, 20 de abril de 2012

1+1=3


Ontem, ao jantar, falávamos de como homem e mulher reagem de forma diferente perante a infertilidade. E sem por em causa se o problema está num ou noutro, falávamos de alguns casos que conhecemos bem. Perante a impossibilidade de engravidar, as mulheres envolvem-se de uma forma muito mais premente: fazem da concepção a sua prioridade e enfrentam todos os males e tratamentos sem pensar duas vezes. E mesmo que tenham que enfrentar anos e anos de tratamentos dolorosos, fazem-nos, sem pensar em desistir. 

Os homens são menos obstinados. E eles desistem mais facilmente. É mais fácil para eles conceber novas formas de ter filhos. Para eles chega a ser insensato assujeitarem-se a tantos tratamentos e insucesso. E é aí que comecem os atritos no casal, o desgaste e as discussões entre os dois. Porque o homem não entende que conceber um filho se tornou a razão de viver daquela mulher. Que aquele filho é tudo. Enquanto que para o homem, a sua companheira e o seu bem-estar é que são tudo para ele.

Isto é uma generalização. Mas é por aqui que se vê a diferença e o quanto é especial a maternidade. Mas às vezes pergunto-me se realmente as mulheres não deveriam dar mais importância ao casal: porque sem ele, sem aquela base de amor a dois, o sonho de ter filhos não faz sentido. Porque quando já ouvi algures: 1+1= 3. Mas nesta soma, todas as partes são primordiais.

11 comentários:

Opinante disse...

Há mulheres que por vezes esquecem o marido enquanto companheiro, amigo e amanta!

Opinante disse...

*Amante!

Cláudia disse...

Eu revejo-me muito mais na descrição que fizeste da posição do homem. Acho que é uma posição mais saudável, quer a nível pessoal, quer a nível do casal.

A mulher tem mais tendência a fazer disso um objectivo quase único e obsessivo e acaba por penalizar aquilo que inicialmente o mais importante "criar uma família saudável".

Ana na Suécia disse...

Gostei muito deste texto, e partilho a mesma opinião.
XOXO

Clara disse...

No meu caso é mais ao contrário. O meu marido está mais obstinado a querer ser pai e eu com todas as derrotas com maior vontade em desistir ;)

Maria Suzel disse...

Passei por isso...doeu e continua a doer demais.é um assunto extremamente delicado que não é facil, que se tem de aprender a viver e levar a vida para a frente com esse vazio! Só quem passa por isso entende.....

Fashionista disse...

nisso concordo contigo.. as mulheres quando têm filhos descuram o casal!

Guinhas disse...

Tenho um casal amigo que está a viver esse drama. Ela não consegue engravidar mas nenhum dos dois tem um problema. No entanto, aquando dos testes ele reagiu à possibilidade de ser infertil de uma forma muito menos racional que ela. Ela chegou a um ponto de "saturação" q dizia q, em caso de haver algum problema, preferia que fosse dela. Acho que, de certa forma, aquilo mexeu com a masculinidade dele.

Isa disse...

Estou plenamente de acordo contigo.

Mabel Baby disse...

Tenho experienciado isso mesmo cá em casa e às vezes até parece que homens e mulheres são de planetas diferentes!lol!

Isa disse...

Pois, então eu faria a parte de homem. Penso exactamente como descreves te como pensa o homem!
Talvez mude um dia...