sábado, 18 de dezembro de 2010

Somos iguais


Em nomes de todos os Armandos e Lucindas e partiram para França à procura de uma vida melhor. Por todos os europeus de Leste que vieram para Portugal trabalhar. A todos os migrantes, sejam eles brancos, pretos ou amarelos, que largaram a segurança dos seus lares e partiram em nome de um futuro para os seus filhos. Eu peço respeito e fraternidade. Não quero agora falar de leis de emigração e integração (até sou dura contra o nosso actual sistema). Mas devemos olhar para eles como Homens de coragem, que fazem grandes sacrifícios (só quem sabe o que é estar longe dos seus e da sua terra é que sabe). Merecem um sorriso, o respeito e a não-discriminação.

Eu sou migrante. Nasci e cresci em França. Vim para Portugal para trás-os-montes onde sofri pela primeira vez e de forma cruel discriminação/ racismo. Mudei-me para a Guarda e vim para Lisboa, onde muitas vezes (demasiadas vezes) pessoas do Interior são vistas como idiotas.

Pela minha vida, pelas minhas raizes, pelos meus ideais, neste Dia Internacional dos Migrantes, peço a todos um pouco mais de amizede e respeito por todos nós.

7 comentários:

Indecisa disse...

clap clap clap
aplaudo este post! ....de pé!

*

Nokas disse...

Apoiado!

Bomboca do Amor disse...

É pena que nem todos pensem assim.
Quanto a mim, estou totalmente de acordo!
Beijinhos querida,
Bomboca do Amor.

Luisinha disse...

Eu também acho que é preciso muita coragem para se sair da nossa casa, e ir para um país desconhecido, embora já tivesse pensado nisso e quase, quase tenha ido...
Bjinhos

Sandra disse...

Estudaste na Guarda?

Eu nasci em Braga, estudei no IPG e depois vim parar à capital por causa do emprego.

Também sou uma migrante e agradeço este post.

Dina disse...

Sandra: Sim, tb estudei no IPG se calhar até nos conhecemos ;)

Filipe disse...

Somos todos iguais.... à menina Scarlett?! havia de ser bonito! :) (se bem que para o caso ela até um bom exemplo... a familia dela tem origens na dinamarca e polonia, se nao tou em erro!).
Ainda bem que somos todos diferentes... e é por sermos todos diferentes que devemos respeitar as diferenças de todos.
Somos todas Pessoas... e é até ridiculo distinguir as pessoas por coisas tão mesquinhas como o tom da pele, ou a naturalidade...
No fundo tudo provém dos esteriotipos... quando queremos realmente conhecer as pessoas, vamos todos constatar que, apesar de todos diferentes, somos mais parecidos do que imaginamos.