terça-feira, 17 de novembro de 2009

Do you marry me?


O debate público está centrado na questão do casamento homosexual. Mas eu acho que nunca será um casamento, ora vejamos:

Hipótese 1: Duas lésbicas casam-se
Mas quem é que vai deixar a tampa levantada da sanita? Quem vai deixar no duche aqueles pêlos característicos masculinos que tanto enfurecem as mulheres? Quem vai coçar as partes baixas? Quem é que vai deixar meias e boxers usados espalhados? Quem vai lançar bombas atómicas pelas portas da traseira? A quem é que se vão queixar da falta de romantismo? Quem é que vai tirar as coisas que estão na última prateleira dos armários? Hein? Estas são cenas típicas de um casamento que estão em vias de extinção....

Hipótese 2: Dois gays casam-se
E depois quem vai berrar histérico contra o outro? Quem vai sofrer de TPM e pôr o outro de cabelo de pé? Quem vai amuar? Quem vai dizer que nunca tem nada para vestir? Quem vai deixar espalahado cabelo pelo chão da casa de banho todas as manhãs? Quem vai encher o armário da casa-de-banho com mil e um creme, esfoliante, etc?

Por isso esses senhores doutores têm toda a razão, isso não pode ser um casamento! É mais tipo viver com a/o melhor amigo(a), como no tempo da faculdade (retirando a parte intimista da coisa). Só por causa disso acho que devia ter casada com outra mulher...Ou com três ou quatro que sempre é mais divertido!

* Ler o post com o maior tom de ironia. Estou totalmente a favor do casamento homosexual e acho uma verdadeira estupidez que os que estão contra me apresentem como único argumento «é pá que lhe dê outro nome, que não seja casamento». Quando os termos usados são meramente abstractos e nada representam...

11 comentários:

Cinderela disse...

LOL Muito bem visto, realmente! Fizeste-me rir. Beijinhos grandes para ti.

Miss Kitty disse...

LOOOOL!

BJS*

Su disse...

Nem percebo é porque é que isto é tema de discussão! Casem-se á vontade qual é o problema? Não percebo!

disse...

ironias à parte, vou concordar com a parte final do post - també sou completamente a favor, poque casamento, para mim, é entre duas pessoas que se amam. E se se amam, porque não poderão casar? É uma questão de justiça social.

Dina disse...

Sim, totalmente de acordo. É realmente uma questão de justiça social. Qualquer pessoa que ama outra pessoa tem o direito de partilhar a sua vida com ela. Com todos os direitos e deveres inerentes (de sucessão, etc.). O problema é se calhar as pessoas misturarem ainda demasiado o casamento civil e religioso. Porque é o que digo: casamento civil é simplesmente um contrato entre duas partes que se assina!

Bailarina disse...

Xii!! Quando comecei a ler o post, comecei a odiar-te também... Até respirei de alivio quando li a ultima parte!! 8)

Concordo plenamente contigo e espero que os homosexuais, mais dia menos dia consigam casar-se com a sua cara metade sem ter preocupações com nada!!
Bjinho*

Clara disse...

Esqueceste de dizer quem, no casal lésbico, pega no barbequim para pendurar um quadro!!!

Lol, beijinhos!

Verinha disse...

Lololol!

Eu acho muito bem que se possam casar, cada um faz aquilo que quer da sua vida.
E também acho bem que tenham os direitos de casados.
E chamem-lhe o que quiserem, acho que aos interessados, o nome que lhe dão não deve ser relevante, o que importa é que o possam fazer e que tenham os mesmos direitos que os heteros!

Bjks***

Dina disse...

Bailarina: Ufa! Que me safei bem desta então ;)

Clara: Sinceramente podia acrescentar mas como eu tenho um quadro em casa há mais de 5 meses para ser pendurado, acho que não me parece oportuno ;)

Verinha: Tens toda a razão. O nome é arbitrário, o que importa é que vivemos em Democracia, por isso todos temos direito de sermos felizes!

*C*inderela disse...

Fala-se em igualdades de oportunidades e depois em pleno sec.XXI ainda andamos a debater a legalização de casamentos entre duas pessoas do mesmo sexo.

Bjokas

Alexandre disse...

Está tudo a mudar. :)