quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Madrid + Parque Warner

Espanha sempre foi um país que me atraiu bastante. O ano passado descobrimos Barcelona, Sevilha e Córdoba. Estas férias fomos até Madrid numa escapadela de 2 dias.

Não foi uma cidade que me deslumbrou nem me apaixonou. Acho Barcelona muito mais interessante em termos de arquitectura, locais a visitar, ruas, animação, etc. Mas Sevilha continua a ser a minha cidade do coração. Madrid não é uma cidade que exija muito tempo, por isso um fim-de-semana é o ideal. 

O que visitámos em Madrid?
A primeira paragem foi no Parque do Retiro. Falaram-me tanto deste Parque, disseram-me tantas maravilhas: acho que foi por isso que não fiquei particularmente maravilhada. É giro, sim? Vale a visita? sim. Mas, "sans plus". Penso que o Parque não precisa de mais apresentações: tem um lago que é a sua imagem de marca, jardins lindos e o Palácio de Cristal. No dia em que fomos, vimos centenas de pessoas concentradas com o telemóvel na mão e até pensei que nos íamos cruzar com algum VIP, mas não eram caça-pokémons às centenas! Só tive pena de não ter experimentado os gelados da Leiteira...



O que mais amei em Madrid foi o Mercado de San Miguel. ADOREI! O edifício é lindo e aí encontramos várias propostas gastronómicas para petiscar. Cada banca dedica-se a uma especialidade: bacalhau, doces, gelados, presunto, azeitonas, croquetes, fruta, iogurtes, bolos árabes, sushi, marisco, paella, etc. Adorei tudo o que experimentei, mas o pincho de salmão e bacalhau do Pescado Original era do outro mundo. Não fica propriamente barato mas vale cada cêntimo.








Viajamos com uma criança de 4 anos que não tem propriamente toda a paciência do mundo para museus, por isso optámos por visitar apenas o Palácio Real e algumas igrejas. Gostei imenso da visita: muito bem conservado, uma decoração e riqueza de nos deixar de queixo caído. 




Depois posso realçar alguns pontos que acho fundamental: a Puerta del Sol, Plaza Mayor, a Catedral de Almudena,  Palácio de Cibeles, Templo de Debod (que estava fechado nessa altura), etc. Vários dos icónicos edifícios da cidade que queria ver estavam tapados para obras, o que não ajudou muito. 






Parque Warner
O pequeno pode ter apenas 4 anos mas é mais radical que eu e o pai juntos. Delirou com as atracções mais radicais. Depois de fazermos o Rio Bravo (em que são duas quedas altas na água, uma para trás e outra para frente), eu saí de lá a tremer, o pai tonto e o Simão aos pulos de alegria a querer repetir a proeza. As atracções são divertidas, o parque está bem tratado (em vez do ar de abandono da Isla Mágica) podemos visitar a casa de algumas personagens da Warner, tem jogos de água para os mais pequenos se refrescarem. O preço é elevado, pelo que convém comprar os bilhetes online para ter direito a desconto. A alimentação é cara e péssima! Quando é que os parques de atracções vão passar a ter opções mais saudáveis? Nós fomos de carro, mas tem acesso por transportes públicos. Recomendo a visita: estão garantidos muitos momentos de pura diversão em família.



5 comentários:

Saltos Altos Vermelhos disse...

Eu por acaso gosto da cidade! Da alegria, da vida da cidade ♥ Gosto muito de Barcelona e Sevilha mas cada uma na sua categoria ♥ Mas claro que não podemos ter todos a mesma opinião. :)

ML disse...

Olha eu adoro Barcelona mas tenho uma paixão tb por Madrid. É uma cidade fácil de visitar como dizes. :)

Dina disse...

Eu acho que as cidades marcam-nos de forma diferente, porque todos temos motivações, feitios, gostos, vivências diferentes. Por isso há destinos de sonhos para alguns que nunca seriam equacionados por outros. E também nós, o período da nossa vida em que conhecemos um determinado destino, faz com que gostemos mais ou menos do local :) Mas não me arrependo da visita.

Um Mundo a Três disse...

Fiz essa viagem há dois anos e também não morri de amores por Madrid. Já o park warner adorei, ei de lá voltar com certeza com a criançada toda :p

Dina disse...

Um mundo a Três: acho que fazes lindamente :) Agora queria levá-lo à Eurodisney e ao Parque Asterix mas o medo do terrorismo deixa-me de pé atrás...