quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Abusos sexuais


Nem vou estar aqui a disertar sobre este tema. Mas hoje sinto-me enjoada e revoltada, porque quando a situação é próxima, tudo se torna mais real.

A minha afilhada andava muito em baixo, deprimida, a chorar, quando antes era uma criança (de 10 anos) extremamente viva e sorridente. Descobrimos finalmente a causa do seu mau-estar. O seu primo apalpou-a descaradamente no peito e na sua zona íntima, quando ambos estavam de férias em casa dos avós paternos (sogros da minha irmã). E a avózinha quando confrontada com a situação só referiu que a criança abusadora «era um bebé». Com 11 anos, uma criança hoje em dia, já tem maldade e vícios. E quando uma avó não consegue proteger a sua própria neta quem conseguirá?! Numa situação desta, quem melhor do que ela para falar com o neto e chamar a sua atenção para a falta de respeito e o crime dos seus actos? Não, vale mais mostrar à criança que o que fez não tem mal, que é um gesto inocente, apelando-o a continuar. E assim se pode criar um adulto perverso sem respeito pelas mulheres...

Mas a minha irmã não é melhor, já que estas férias de Carnaval os miúdos voltam para lá, porque dá mais jeito do que irem para o ATL. Perante a atitude da avó, nunca iria permitir que a minha filha lá voltasse. Mas enfim, às vezes parece que o criminoso não é o único a perpetuar o crime e a merecer castigo...

31 comentários:

aprendereorganizar disse...

Estou chocada Dina, não posso crer que a tua irmã permita que a filha continue a sofrer.
A vida às vezes é mesmo cruel:)

D disse...

Fogo que grande cena, tu tens razão pode se estar a criar um grande criminoso. é certo que ele é novo, mas eu acho que já entende :/ A minha filha também não ia mais, por muito amiga que a avó fosse.

Sexy na Cidade disse...

ui....estas situações sao mm delicadas mas acho que se deve logo tratar do assunto e n deixar andar!

Maria

Rita disse...

Talvez por ter sido vitima de abusos em criança, sou particularmente sensível a este tema. Se essa situação fosse com uma filha minha acho que perdia a cabeça :(

Fashionista disse...

credo! Não acredito! Volta a colocar lá a filha?? Nestas coisas não pode haver desculpa!

Paula disse...

:-((((((((((((

Opinante disse...

Que horror... isso vai afectar a miuda!

MissBlueEyes disse...

Coitadinha da menina... Há coisas que a mim tb me fazem uma certa confusão.

* Tu estás LINDA LINDA LINDA. Que grávida mais maravilhosa :))))

Sónia disse...

Eu não deixava a minha filha voltar a estar com o primo, espero que isso não se repita mas pelo andar da carruagem estou a ver um futuro negro para a menina :(:(:(

Rita G. disse...

tem de ser chamado à atenção pela atitude grave que teve, não se pode deixar passar em branco sob pena de acontecer novamente! bj

Bomboca do Amor disse...

Que horror!
Estou em choque, nem tenho palavras.
Beijinhos querida,
Bomboca do Amor.

Diana Teodoro disse...

Oh Dina, convence a tua irmã a não levar a menina para lá. Pior do que ter sofrido esse abuso, é mesmo sentir que não tem protecção da família. A minha irmã também tem 10 anos e sei que não a posso proteger de todos os males do mundo, mas demonstro que estarei lá sempre que for necessário. E quando é necessário, estou mesmo.Penso que isso lhe dá um sentido de paz e de amor-próprio. Acho que lhe aumenta a confiança para ela própria se preteger um dia, quando for adulta.
Para a família pode não ter sido nada, mas se ela ficou deprimida com isso, significou muito para ela. Tenta ajudá-la.
Espero que a tua irmã decida pelo ATL em vez da convivência com esse primo.
Beijinhos,
Diana
ps: Sigo o blog há pouco tempo, nunca comentei, por isso não há grande confiança entre nós, para eu já estar a mandar dicas,mas tinha de dizer alguma coisa.

Tsuri disse...

Completamente arrepiada ao ler e ao imaginar no que poderá dar resultado. Horrível.
beijinhos

Mariana disse...

Infelizmente esse não é o único caso:( Há muitos por aí, e o papel da família é proteger, se bem que às vezes não o faz. Talvez um acompanhamento de um psicologo fosse ajudar, não sei :/

Passado Futuro e Presente disse...

Bem que situação.

Anjinha sexy disse...

Pois é assim se fosse minha filha ai não voltava para lá de certeza saber lá o que mais pode acontecer...pois por vezes é o fechar de olhas que depois se formam monstros... e chamar o gaiato a atenção não?!?! beijos e não descures da tua sobrinha pois já se viu que a mãe ainda não entendeu a gravidade da situação....

Dina disse...

Tb não consigo perceber, mas enfim... Agora que se sabe da situação (denunciada pelo seu irmão mais novo), a garota foi alertada para se defender e bater-lhe a sério se voltar a repetir-se. Espero que corra tudo bem. A miúda já tem andado no psicólogo e tem ajudado, mas o importante é que o miúdo não repita a cena.

Dina disse...

MissBlueEyes: Obrigada querida :)

sol disse...

Estou chocada...completamente!
bjs

Moa disse...

não sei como consegue voltar a confiar... credo!

Isa disse...

Que situação... é horrível na realidade... Para além de proteger a menina é importante era explicar ao miúdo o quanto errada foi a sua atitude! Claramente nem tem noção da falta de respeito e da invasão da privacidade e do espaço do outro ao fazer o que fez! Se não outras situações se repetirão, não com ela se calhar, mas com outras!

ML disse...

Fiquei arrepiada só de ler e imaginar o que a menina deve ter sentido. Isso não se esquece, e mesmo avisando para ela se defender, a personalidade da tua sobrinha pode não ser compatível com isso e sentir-se fechada e não reagir. É preciso estar muito atento, acompanhar.

Beijinhos grandes e desejo que tudo fique bem.

Faz de Conta disse...

Xi... Situação complicada. Coitadinha da menina. AInda bem que descobriram o que a estava a deitar abaixo. Pelo menos, ainda se pode fazer alguma coisa para evitar o pior..

Conto de Fadas disse...

Fogo, é que tens mesmo razão! Que nojo, eu não permitia...

Tive uma amiga cuja filha, ainda no infantário, foi apalpada por uma colega mais velha do infantário... chegou a introduzir-lhe coisas, um nojo. A menina ficou traumatizada e a mãe só soube porque notou que ela estava ferida, quando a mãe quis saber quem era a miúda o infantário não permitiu que soubesse! Isto é inadmissível, até porque os pais da miúda abusadora tinham de saber o que se passava, a rapariga não podia estar bem... claro, a minha amiga tirou-a daquele infantário.

Maria disse...

Até estou um pouco arrepiada... Bolas, é uma situação complicada. E não conversou com a sua irmã? Isso é tão estranho! :S Não terá ela falado com o miúdo?? Um beijinho dear

Dina disse...

Maria: Foi o primo que se foi gabar ao meu sobrinho e foi assim que se soube...

Conto de fadas: que situação! Como é que crianças tão pequenas já podem ter comportamentos destes?! Assustador, mesmo!

Cláudia disse...

Só me ocorre dizer que fiquei chocada com este relato que fizeste, sobretudo com o comportamento de uma mãe que parece não dar a devida importância àquilo que realmente deve ser importante.

Conto de Fadas disse...

Olha Dina, não sei... a minha teoria é que ou vêem na tv ou infelizmente já lhes fizeram o mesmo.

Guinhas disse...

Que horror Dina!!Até fiquei chocada...acho que a familia só tinha a obrigação de proteger,ao máximo, a miúda!

Serrano disse...

Quando os miúdos têm acesso livre à internet o resultado poderá ser esse ou pior...

Tânia disse...

Nem quero imaginar a angústia nessa menina ao voltar a ter de ir para o local onde se sentiu ameçada! Meu deus a tua irmã devia ter consciência que a filha ficará traumatizada!